quinta-feira, janeiro 09, 2014

CRÍTICA À LEVEZA E AO ELOGIO FÁCIL

Venho observando com muita desconfiança o comportamento dúbio e volátil de alguns amigos ou ex-amigos que até ontem repudiavam Lula, Dilma, PT, a oligarquia Ferreira Gomes, e hoje, rendidos às seduções misteriosas do poder, romperam com seus aliados históricos e aderiram aos esquemas dos adversários em troca de cargos periféricos no governo. A fila de burgueses neossocialistas e neocomunistas continua passando na Beira Mar ou postando ingenuidades na web sob o meu olhar severo e reprovador. 


Tenho visto também que alguns deles, astutamente, abandonaram a crítica ácida e passaram a postar mensagens que infundem uma pureza artificial, sem nenhum conteúdo comprometedor, de “paz e amor” ou imagens ainda mais ingênuas, de pássaros cantando ou de flores desabrochando no campo. 

Recentemente um desses farsantes postou uma mensagem no meu twitter invocando a leveza e o elogio como os caminhos para o sucesso e para a felicidade. Por uns instantes passei a admitir que ele poderia estar certo e eu, totalmente errado. Mas quando vi que o bajulador, com sua leveza fingida, tem apenas alguns seguidores e eu, com as minhas críticas e idiossincrasias sem cura, mais de 100 mil, resolvi excluí-lo do meu rol de amigos para poupá-lo de vexames. 

É verdade que esses amigos ou ex-amigos não está sozinho com as suas obtusidades e miopias sobre a vida, sobre a realidade nacional e sobre as relações sociais, tanto que há centenas de comunidades no Facebook em que a regra é a banalidade e é quase proibido postagens sobre temas que não sejam inúteis. 

Tenho observado que os amigos que gozam da fama de leves, esses que nas rodas sociais estão sempre sorrindo, aplaudindo ou comprazidos com a demagogia do elogio fácil, quando se deparam com um impasse qualquer, logo emudecem ou mudam de opinião como quem muda de rapariga, sem esboçar nenhum dilema de consciência. 

Ora, leitor, quem perde a capacidade de se indignar, de criticar com honestidade e de se pensar, mesmo que seja abstratamente, perde também o horizonte do pensamento honesto e da própria vida. 

Ruy Câmara

http://blogdoescritorruycmara.blogspot.com.br/2014/01/critica-leveza-e-ao-elogio-facil.html