sexta-feira, julho 12, 2013

MAIS UM SOFISMA DE DISTRAÇÃO DE DILMA LULA DA SILVA



Dilma afirmou em rede nacional que ouviu a voz do Povo durante as manifestações que deixaram o Brasil em chamas. Eu afirmo com convicção que ela tergiversou, que não ouviu, e se ouviu não entendeu o que o Povo brasileiro está bradando alto nas ruas. 

Em nenhum momento da encenação falaciosa ouvimos Dilma se comprometer com o atendimento das reivindicações que verdadeiramente desencadearam a revolta popular em todo o país. E Desafio que alguém tenha escutado um único manifestante clamando por Plebiscito ou por Constituinte exclusiva. A grande maioria nunca ouviu falar disso, sequer sabe o significado de tais palavras, mas desconfia, com razão, das intenções ocultas no bojo dessa proposta extemporânea.     

Claro está que as vozes do Povo não se levantaram apenas contra R$ 0,20 de aumento nas passagens; nem contra a precariedade do transporte coletivo público; nem apenas em protesto contra gastança com a Copa ou contra os descasos envolvendo a educação, saúde e segurança, públicas. 

Dilma mentiu e omitiu, descaradamente, ao afirmar que não há investimento público na gastança com a copa. Claro que há e muito, como demonstrarei a seguir: 

O Valor atual dos gastos é de R$ 28,1 bilhões, sendo R$ 8,7 bilhões oriundos de financiamento federal através do BNDES e outros bancos públicos; R$ 6,5 bilhões já sacados do TESOURO NACIONAL; R$ 7,3 bilhões dos estados e prefeituras; e R$ 5,6 bilhões de recursos privados. 

O gigante despertou e demonstrou a sua fúria contra a CORRUPÇÃO no governo Dilma; contra a IMPUNIDADE defendida abertamente pelo governo Dilma, e principalmente porque vê a CUMPLICIDADE pessoal de Dilma com seus amigos mensaleiros petistas, esses delinquentes renitentes e empedernidos que continuam fazendo tráfico de influência longe das garras da justiça.

Não bastando as 200 promessas descumpridas desde a posse, Dilma volta à cena prometendo convocar um plebiscito para decidir sobre a instalação de uma Assembleia Constituinte para tratar exclusivamente de reforma política. 

Ora, essa promessa é, verdadeiramente, mais um SOFISMA DE DISTRAÇÃO para arrefecer os ânimos da Nação, uma vez que ela, Dilma, não tem poderes constitucionais para tanto. Ademais, o Povo brasileiro já disse reiteradas vezes que não confia no governo petista e muito menos num Congresso infestado de políticos corruptos que estão com os dias contados.  

É certo que Dilma, Lula, Sarney, Renan, Collor e outros cretinos,  não sabem quanto custará aos cofres da Nação um plebiscito feito nas coxas? Então, é preciso que se diga a essa senhora que o Povo esclarecido não aceita nenhum reforma política sob a batuta desse Congresso, nem mesmo sendo feita dentro dos limites fixados pela Constituição Federal de 1988. Ou seja, por meio de projetos de lei ou de propostas de emenda à Constituição.

O Brasil não pode correr o risco de confiar ao PT a tarefa de comandar a reforma política na véspera de uma eleição. Além de perigosa e onerosa (porque a intenção esconde vícios), a proposição é juridicamente duvidosa, pois nem mesmo o Congresso Nacional, com sua precariedade moral, com seus desvios de conduta, com seus vícios comportamentais, tem poderes constitucionais para convocar uma Assembleia Constituinte para tratar de um assunto específico.

Como disse o Dr. Ayres Britto, ministro aposentado do STF, “o Congresso Nacional só pode convocar o povo a decidir sobre os temas que ele próprio, Congresso, tem legitimidade para decidir. Nenhuma Constituição tem vocação para o suicídio. Por isso, não prevê a possibilidade de se convocar uma Assembleia Constituinte. Toda Constituinte é a sentença de morte da Constituição anterior e, neste caso, o Congresso Nacional não pode convocar o povo para agir como o coveiro da Constituição de 1988, que agora começa a dar seus belos frutos.”

Ruy Câmara
Escritor