sexta-feira, março 02, 2012

DIREITA OU ESQUERDA!!!



Todos os dias eu vejo “petistas, socialistas e comunistas de última hora” invocando conceitos ideológicos, já há muito sepultados nas valas do tempo, como por exemplo, fulano é de “Direita, cicrano é de Esquerda”. 



Esses fraudadores, por ignorância congenial, pecham de “direitistas” pessoas como eu e como mais de 65% do povo brasileiro, que reprova o populismo e a corrupção oficial disseminada no Brasil por Lula, Dilma, José Dirceu e muitos outros mensaleiros e quadrilheiros do PT que outrora eram membros dos grupos de delinquentes urbanos que roubavam e matavam para implantar no Brasil uma ditadura stalinista. 



A esses esquerdistas de araque do Brasil eu perguntaria: FHC e José Serra (velhos militantes socialistas, exilados e fundadores do PSDB) são de direita? Hélio Bicudo, fundador do PT, é da direita? Heloísa Helena, Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) e Fernando Gabeira (PV) são da direita? 



Para deixá-los ainda mais desnorteados, eu perguntaria: José Sarney, Fernando Collor, Michel Temer, Renan Calheiros, Jader Barbalho, e o burguês-milionário de nome José Dirceu, são da esquerda? E os quadrilheiros do PT, juntamente com os lacaios do PMDB e da base aliada do governo Dilma, são de esquerda¿ Dilma é de esquerda? E você, leitor, representa o que, para os falastrões que levantam esse tipo espúrio de conceito ideológico fraudulento: é de Esquerda ou de Direita? 


Ora, se quem é contra a endemia da corrupção e o populismo stalinista dessa camarilha no poder é ser-se da direita, eu sou então da extrema-direita. Mas se quem defende de forma intransigente a Democracia, o Estado de Direito, as Garantias Individuais e a Liberdade de Expressão e de Imprensa, é ser-se da esquerda, então eu sou da extrema esquerda. 

Essa dicotomia vigia com autarcia na França do final do século XVIII, ao tempo em que o sistema político era composto por três grupos, os chamados Estados Gerais, formados pelo Clero, Nobreza e pelo Terceiro Estado, composto pelo chamado “resto” da população (industriais, comerciantes, profissionais liberais, artesãos, banqueiros, etc.). 

Cabia exclusivamente ao Terceiro Estado a obrigação de PAGAR IMPOSTOS para suster o luxo do Clero e da Nobreza. Inconformado, o Terceiro Estado iniciou a Revolução Francesa, que acabaria com os privilégios das cortes com seus apaniguados e mudaria a esdrúxula situação parasitária do Clero e da Nobreza. 

O que originou os termos Direita e Esquerda foi o fato de os membros do terceiro estado sentarem à esquerda do rei, enquanto os do clero e da nobreza sentavam à direita. Foi assim que se originaram os conceitos: Direita era situação (grupo conservador) e Esquerda era oposição (grupo da rebelião).

Mas os tempos mudaram e o fato de alguém ser taxado de Direita ou de Esquerda tornou-se algo mimético, ilusório e não permanente, uma vez que cada partido político tem seu preço de venda no varejo e no atacado, e cada político também, podendo cada um se promiscuir segundo os próprios interesses, saltando da situação para a oposição e vice-versa, sem  receio algum de perder o mandato por aplicar calotes e estelionatos eleitorais nos seus currais.

Evidentemente que não há no Brasil uma disputa ideológica no sentido clássico do termo. O que há, de fato e verdadeiramente é uma disputa pelo poder e pela grana pública que todos os dias é desviada dos ministérios, secretarias, estatais, agências reguladoras, governos estaduais e municipais, para entupir os cofres dos petistas, socialistas e comunistas de araque que estão no poder assaltando impunemente. 

Parafraseando o filósofo Santayanna, quem não aprendeu as lições da história está condenado a repetir os erros do passado e, como sabemos cabalmente, o populismo, o patrulhamento e o aparelhamento do Estado sempre foram os meios pelos quais os psicopatas empreenderam as grandes tragédias da humanidade.

Ruy Câmara
Escritor