quinta-feira, maio 23, 2013

A C.I.A CUIDARÁ DELE

quinta-feira, 23 de maio de 2013


O aprendiz de ditador da Venezuela, Nicolas Maduro - apoiado pela velha comunista, Dilma, pelos dinossauros de Cuba, Fidel e Raul, pelo índio da Bolívia, Evo Morales - está criando "milícias operárias", que são grupos armados para defender o regime ditatorial deixado de herança pelo falastrão, Hugo Chávez. 



Maduro, presidente da Venezuela (Imagem de Carlos Garcia Rawlins/Reuters)


Após ameaçar cidadãos venezuelanos, afirmando saber quem votou em seu opositor, em meio a denúncias de fraudes nas eleições e violações constitucionais, Maduro anunciou incentivo à criação de mílicias operárias uniformizadas, ampliando grupos armados ligados ao governo.

Vale ressaltar que já existe a Milícia Nacional Bolivariana, criada por seu antecessor. O objetivo seria, alega MADURO, fortalecer o regime a aliança operário-militar.




Dilma presta apoio ao Regime "Bolivariano", após a assunção de Maduro (anos após a consolidação da MNB)
Afirmou: "As milícias serão ainda mais respeitadas se tiverem 300 mil, um milhão, dois milhões de trabalhadores e trabalhadoras uniformizados e armados, prontos para a defesa da soberania e da revolução". O efetivo oficial, atualmente, é de 130 mil homens da "Resistência Bolivariana". Vale ressaltar que a população venezuelana é de cerca de 29 milhões de habitantes, o que indica um agudo desejo de militarização e armamento da "revolução bolivariana".




Milícias bolivarianas em apresentações públicas. Em meio a bandeiras da Venezuela, destaca-se a bandeira de Cuba (canto superior direito)

Juramento da milícia


Culto de personalidade a Chávez em apresentações de milícias


Milícias bolivarianas marcham pelas ruas da Venezuela


Ala feminina da Milícia Nacional Bolivariana em forma


Qual a razão de, em uma democracia, formar grupos armados partidários? Segundo diversas denúncias, as já existentes estão sendo utilizadas como forma de coação e intimidação de opositores. Para defensores do regime, são um meio de resistir à opressão de adversários internos e externos. Resta lembrar que o regime democrático deve ser pautado pelo diálogo, pelo discurso, pela representação, não pela força física e pela intimidação.



Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia - FARC)


Milícia "Camisas Negras", ligada ao fascista italiano Benito Mussollini

Outra questão relevante consiste na razão do apoio prestado por Dilma Rousseff ao regime, inclusive segurando imagens que desvelam o culto de personalidade ao antecessor Hugo Chávez. Não se sabe do apoio à criação das novas milícias, mas, até o momento, a presidente não se pronunciou sobre o caso, sendo mantido, ainda que por inércia e omissão, o apoio ao regime.

Para os governantes brasileiros, inclusive Dilma Roussef, a democracia não é importante? A coação e o uso de milícias são condutas legítimas e dignas de apoio. 
Por que a omissão? Leia mais sobre o caráter fascista, militarista, partidarista e totalitarista das milícias bolivarianas: http://www.folhapolitica.org/2013/05/milicia-bolivariana-tem-nitido-carater.html




A criação de milícias partidárias não é novidade. Imagem da Waffen-SS na Alemanha Nazista.




A criação de milícias partidárias não é novidade. Imagem da Waffen-SS na Alemanha Nazista.


Lígia Ferreira é analisa de sócio-mecanismos.
Com informações de France Press, Estadão, Veja, Blog de Fidel Castro e Venezuela Defensa.