quarta-feira, outubro 02, 2013

O TROCA-TROCA DOS SALTIMBANCOS DA POLÍTICA DO CEARÁ



As notícias dão conta de que os membros da OLIGARQUIA, FERREIRA GOMES DE SOBRAL, mais uma vez mudaram de partido, o fazendo, não por vontade própria, mas porque o governador Eduardo Campos (dono do PSB), forçou a debandado do bloco ao negar a legenda que Ciro Gomes queria, não para apoiar Dilma (como vem pregando por aí) mas para lançar a própria candidatura à presidente do Brasil, na vaga que será deixada por Dilma em 2014.

Quem conhece o oportunismo e a capacidade de traição dos oligarcas de Sobral sabe que, se eles tivessem o controle do PSB, nessas alturas os nomes de Aécio Neves, Marina Silva e Dilma/Lula seriam os alvos prioritários dos seus ataques oportunistas.

Vimos esses mesmos filmetes nas duas últimas eleições (2010 e 2012), quando Ciro, Cid e Cia Gomes se aliaram ao PT de última hora para banir Tasso Jereissati da vida pública (a quem devem tudo o que conquistaram na política) e recentemente romperam com a aliada, Luizianne Lins, e a isolaram no PT para garantir a hegemonia política da família no comando dos negócios públicos do Ceará. 

Com tantas mudanças de partido, Cid e Ciro Gomes tornaram-se, verdadeiramente, os mais miméticos e ilusórios camaleões da política ordinária e oportunista que se alastra pelo Brasil. 

Ciro começou sua carreira de político SALTIMBANCO no PDS, sucessor da velha e caluniada ARENA, partido dos generais da contra-revolução de 64 que livrou o Brasil do comunismo.

Em 1983, Ciro viu um buraco e entrou no PMDB (partido que chamou de ajuntamento de ladrões).

Em 1988 abriu a porteira e passou para o PSDB, atraído pelo magnetismo dos lendários, Mário Covas, Fernando Henrique, José Serra, Tasso Jereissati e outros vultos da política nacional. 
Em 1996, Ciro saltou para o PPS, partido sob o comando do ex-comunista, Roberto Freire. 
Em 2003 Ciro e Cia Gomes romperam com o PPS e arrancharam-se no PSB, partido aliado do PT e infestado de socialistas de araque.
E agora, por não dispor de legenda partidária para disputar com Aécio e Dilma, Ciro foi instado a deixar o PSB pela porta de fundos. 

Como não há partidos no Brasil sem dono, Ciro, Cid & Cia Gomes estão ingressando na mais nova legenda de aluguel da praça, o PROS, criada de última hora para facilitar o troca-troca partidário nesse promiscuído mercado político brasileiro. Esse é o quadro cromático dos camaleões da política tupiniquim e rastaquera do Ceará, políticos capazes de tudo para levarem adiante o sonho sonambúlico e deletério de ampliar seus CURRAIS ELEITORAIS para se tornarem LATIFUNDIÁRIOS DO BRASIL. 

É certo que nas próximas eleições esse SALTIMBANCOS DA POLÍTICA LOCAL quererão tomar o PROS para eleger alguém do seus bando e, se não for possível dominar a legenda, trocarão novamente de partido. A pergunta é: que partido quererá abrigar os oligarcas saltimbancos que a cada eleição muda de aliados, de partido, de discurso e de caráter? 

Ruy Câmara

Nota:


Saltimbanco: Designa um grupo de farsantes, malabaristas, bufões, falastrões, fimâmbulos, arlequins, mentirosos, politiqueiros ou atores nômades que vão de um povoado a outro fazendo exibições de circo em troca de dinheiro, aplausos, comida ou hospedagem.







PDS (1979 - 1983)




PMDB (1983 - 1988)




PSDB (1988 - 1996)




PPS (1996 - 2003)




PSB (2003 - 2013)




PROS (2013-)




QUAL SERÁ O PRÓXIMO EM 2016?