sexta-feira, outubro 28, 2016

A FARSA DE LULA E A ONU

Nas atividades em que o farsante LULA com seu bando estão envolvidos, seja indireta ou diretamente, estão permeadas de mentiras, fraudes, corrupção, roubo e simulacros de verdades.

Os advogados chicaneiros desse vigarista renitente e empedernido divulgaram quarta-feira (dia 26/10) uma nota afirmando que o Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU aceitou a denúncia protocolada por eles em julho de 2016, acusando o juiz Sergio Moro e os procuradores da LAVA JATO de abuso de poder.

O sabemos é que a peça em defesa de LULA foi entregue no meio da rua ao advogado britânico-australiano, GEOFFREY ROBERTSON e no ato ele gravou um vídeo tentando inverter a lógica do Direito, aquela em que o bandido acusa juiz de cometer crime por cumprir a Lei.

A pergunta que faço é: quem está pagando os atores desse circo e por quantos milhares de dólares compraram a defesa pública de GEOFFREY ROBERTSON, tanto para cuidar do caso, quanto para gravar vários vídeos atacando o ilibado e respeitosíssimo juiz Sergio Moro, ao mesmo tempo em que defende de forma tão parcial e muito forçada o maior cretino que já surgiu na política brasileira em todos os tempos.

A nota em defesa do agora CHEFETE da ORGANIZAÇÃO mais CRIMINOSA que temos notícia é uma MENTIRA cabeludíssima e tão ordinária quanto o é LULA com os seus novos defensores muito bem remunerados com dinheiro de origem duvidosa.

A imprensa noticiou como se fosse um fato real que a ONU admitiu que houve violação da Convenção Internacional de Direitos Políticos e Civis pela Força Tarefa da Lava Jato e pelo juiz Sergio Moro, por terem eles violado os direitos de Lula à privacidade, à presunção de inocência, cerceando o seu direito de não ser preso, mesmo diante da fartura incontestável de provas. 

Noticiou ainda que a ONU já intimou o governo brasileiro a apresentar “informações” relevantes sobre o caso no prazo de 2 meses, sob pena de punição.

Ora, tudo isso é uma farsa ordinária, afinal a própria ONU, através da sua porta-voz Elizabeth Throssell, desmantelou nesta quinta-feira (26/10) a MENTIRA divulgada no Brasil e explicou o seguinte: a ONU apenas fez o ‘registro’ do caso e esse registro não implica decisão sobre sua admissibilidade da defesa e muito menos sobre mérito da questão. 

Segundo a ONU, o registro do exame do caso envolvendo LULA é uma mera 'formalidade' de modo que não se pode dizer que a ONU considerou a admissibilidade pleiteada. E disse mais: a fase de admissibilidade só será considerada em 2017 ou em 2018 e o julgamento de Lula na ONU, se houver, poderá levar até 5 anos. Ou seja, o caso LULA foi para um fundo de uma prateleira e ali deverá ficar por muitos anos. 

Ademais, é bom e prudente que se diga aos chicaneiros e arrogantes defensores do Chefão da quadrilha petista que o Alto Comissariado para Diretos Humanos da ONU não tem a mínima autonomia sobre matérias legisladas por instituições democráticas e nem poderes para modificar as decisões judiciais previstas nas constituições das nações democráticas, de modo que, quando a ONU se debruçar para examinar esse caso, em 2021, LULA já estará condenado em pelo menos 13 processos e trancafiada na cadeia há pelo menos 3 anos.

É isso que o Brasil e a imensa maioria do povo brasileiro espera, afinal, uma Nação só pode ser considerada democrática quando a Justiça que pune um ladrão de galinha, também pune um ex-presidente ladrão.    

Ruy Câmara

http://blogdoescritorruycmara.blogspot.com.br/2016/10/a-farsa-de-lula-e-onu.html