terça-feira, janeiro 03, 2012

2012 COMEÇA DE MAL A PIOR NO CEARÁ

2012 começou de mal a pior para o povo do nosso Ceará e mais ainda para a população da nossa tão maltratada Fortaleza. 


Sabemos nós e bem mais os especialistas em segurança que, as portas para a criminalidade, desordem e badernas se escancaram quando uma parte da população percebe a omissão ou negligência dos aparelhos do Estado.




A previsível e anunciada onda de assaltos, arrastões e crimes de toda ordem atingiu em cheio a população nesta terça-feira. O clima nas ruas da nossa capital é de tensão, medo e de revolta diante da criminalidade e marginalidade que assola todo o Estado do Ceará. 

Os Comerciantes do centro de Fortaleza e dos diversos bairros fecharam as portas. Todos os municípios do Estado estão completamente à mercê das quadrilhas de criminosas que passaram a atuar com total liberdade e impunemente diante da complacência das polícias e bombeiros, que estão de braços cruzados, torcendo para que o caos se estabeleça e apavore ainda mais a população desarmada e trancada em suas casas. 

Hoje, o Ceará é o Estado mais perigoso e violento da Amárica Latina e quiçá, do mundo. Por conta dessa violência sem cura e sem remédio, todos os postos de saúde de Fortaleza fecharam as portas; supermercados, lojas, shoppings, repartições públicas e serviços básicos também paralisaram as atividades por conta da insegurança; os Correios; as Secretarias Municipais; o Tribunal de Justiça, o Fórum Clóvis Beviláqua e todas as escolas públicas estão de portas fechadas. Os motoristas de ônibus da capital darão início a uma paralisação; os agentes de trânsito da Autarquia Municipal de Fortaleza (AMC) sumiram das ruas com seus cassetetes de pau; e as forças do Exército Brasileiro (tão prometidas pelo governador Cid Gomes) não estão conseguindo manter a ordem por deficiência de contingente.

Mas o palácio do governo e as famílias da OLIGARQUIA sobralense continuam muito bem protegidos pela polícia particular. Esse CAOS real e entrópico é o resultado mais objetivo da crise de governabilidade, fruto da INCOMPETÊNCIA, da JUMENTICE ou mesmo da escassez de TESTOSTERONA nos bagos de um GOVERNO fraco e incapaz de perceber as inconsequências dos próprios atos.

Ruy Câmara
Escritor