sexta-feira, julho 18, 2014

PANDA CHINÊS ENJAULA URSO, TIGRE, ELEFANTE E ANTA COM UM SORRISO PÁLIDO



Não me entusiasma minimamente ouvir a notícia que corre o mundo dando conta de que, após 15 anos de conversações, dúvidas e protelação dos chamados “países emergentes”, finalmente foi assinado em Fortaleza (minha cidade) o protocolo de criação de mais um poderoso INSTRUMENTO CAPITALISTA, este que foi batizado pelo economista Jim O´Neil, do banco Goldman Sachs, com o sugestivo nome, BRICS, abreviatura de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.


E desconfio ainda mais de quem enaltece a importância do BRICS para as Nações cujos líderes ainda flertam com o comunismo, essas que, mesmo aportando 50 bilhões em moeda forte dos EUA para a criação de um banco poderoso, ainda invocam (quando lhes convém) a velha e caquética doutrina como a lógica mais humana para governar os destinos dos indivíduos até o inferno. 


A participação genuinamente CAPITALISTA da Rússia e da China na criação de um BANCO que reúne fundos oriundos das expropriações de bens e das contribuições de 3 bilhões de indivíduos é, numa frase, a afirmação tácita e conclusiva de que o COMUNISMO (com os ismos derivados dessa enfermidade ideológica) é o caminho mais árduo e mais doloroso para se chegar ao CAPITALISMO-LIBERAL. 



Após o longo percurso trilhado pelos adeptos da teoria marxista para se chegar a uma prática completamente diversa e antagônica do seu objetivo (percurso que deixou no caminho um oceano de sangre e dez everestes de cadáveres) seria uma hipocrisia indigna da mais medíocre lógica, alguém negar que, toda a fundamentação comunista-socialista embasada pelo marxismo, caiu por terra justamente na minha cidade, onde foi revisionada tardiamente, culminando na sua rendição sumária ao CAPITALISMO. 



O burguês alemão, Kall Marx, deve estar causando uma tremenda revolução na majestosa catacumba do Highgate Cemetery (Londres), ao saber pelos dianhos que um filho Stalin e um filho de Mao Tsé-Tung, assinaram o termo de rendição do comunismo ao capitalismo, e agora se tornam sócios de um mega-império financeiro regulado segundo as tesses de Adam Smith, pai do liberalismo econômico que se ergue para restaurar as ruínas de um século de crueldades e de tiranias gloriosas que perpetraram as grandes matanças humanas. 


Doravante, não há mais que se falar em marxismo, comunismo ou socialismo, porque a nova ordem vigente posta em prática pelos líderes do extinto bloco comunista, demonstrou, às vista do mundo, que os últimos remanescentes do comunismo assumiram-se como sócios de potências capitalistas nos negócios e também parceiros de mera hipocrisia ideológica, à medida em que recorrem às velhas ideias para socializar os prejuízos e os problemas sem solução. 


Felizmente estou longe do Brasil, mas nesse momento em que o mundo coloca o Brasil na lixeira moral, como eu gostaria de estar em Fortaleza, assistindo a criação do BRICS, apenas para ver in loco como um astuto e simpático Panda Chinês, conseguiu enjaular com seu sorriso pálido, um perigoso Urso Russo, um faminto Tigre Indiano, um manhoso Elefante Africano e uma Anta Brasileira ferida.

Ruy Câmara
Escritor
http://blogdoescritorruycmara.blogspot.com/2014/07/entusiasma-me-saber-que-apos-15-anos-de.html